Resumo de Amor e Revolução – 19 a 23 de Setembro de 2011


Segunda-feira, 19/09/2011 – capítulo 120
Thiago revela que o bebê não resistiu

O médico diz a Thiago e Marcela que Marina está saindo do estado sedativo. Desolada, Maria escreve carta a José. Por meio da carta, a guerrilheira conta que Mário a beijou para causar ciúmes em José. Marcela e Thiago entram no quarto em que Marina está internada. Ela pergunta pelo bebê. Com pesar, Thiago revela a Marina que o bebê não resistiu. Aos prantos, Marina lamenta a morte do filho. Na igreja, Ana diz a Lobo Guerra que Violeta está com um semblante estranho. Na sacristia da igreja, Marília manda padre Bento sair de sua frente, pois ela está decidida a entrar na igreja e escandalizar padre Inácio diante de todos.

Violeta está ansiosa pelo momento em que padre Inácio irá perguntar se ela aceita Filinto como seu esposo. Para evitar o escândalo, padre Bento tranca Marília e Jorginho em um quarto da igreja. Batistelli, Jandira e Bartolomeu chegam ao “aparelho”. Jandira conta a Maria, Nina e Heloisa que Davi e Felipe foram mortos durante a missão. Maria se revolta e afirma que o sonho está se tornando um pesadelo. Batistelli diz que eles estão com o dinheiro em mãos. Bartolomeu lamenta a morte de seu amigo Davi. O monento da cerimônia tão aguardado por Violeta acontece. Padre Inácio pergunta à moça se ela deseja se unir a Filinto.

Violeta fica em silêncio. Filinto sente um desconforto. Os convidados começam a fazer comentários. Padre Inácio faz a pergunta novamente e Violeta diz “não”. João conta a Lúcia que o bebê de Marina e Thiago morreu. Irônico, João diz para a mãe comemorar, dar pulos de alegria. Na frente dos convidados, Violeta diz que não vai se casar com um torturador e assassino. Em alto e bom som, ela diz a todos que Filinto torturou e matou a sua irmã Olivia. Filinto manda Violeta calar a boca. Violeta o chama de assassino frio e cruel. Telmo e Henrique aguardam Violeta na saída da igreja. Violeta diz que Filinto vai conviver com a vergonha para o resto de seus dias. Ela sai correndo pela igreja.

Terça-feira, 20/09/2011 – capítulo 121
Aranha recebe um telefonema anônimo

Filinto corre atrás de Violeta. Ela entra no carro de Telmo e Henrique. Troca de tiros entre guerrilheiros e militares. Violeta consegue escapar com Telmo e Henrique. Aranha recebe telefonema anônimo. O sujeito diz que sua mulher e seu filho foram violentados e mortos. O delegado entra em desespero e liga para sua casa. Marquinhos atende o telefone. Aliviado, Aranha diz a Fritz que foi um trote. Marília tenta pegar a chave que está com padre Bento para sair do quarto. Ana lamenta o que aconteceu a Filinto e dá apoio ao filho. Na sacristia da igreja, Lobo Guerra, Miriam, Filinto e Ana ouvem os gritos de Marília. Padre Inácio finge que não sabe o que está acontecendo. Marcela tenta acalmar Marina, que se sente culpada pela morte do bebê.

Arrependido, João pede desculpas a Lúcia. Marília está aos gritos. Padre Inácio promete deixar a batina e se casar com ela. Ana tenta tranquilizar Filinto, que está com ódio de Violeta. Filinto promete matá-la. José recebe uma carta no quartel. Ele lê a carta. Maria tenta convencê-lo de que o que aconteceu entre ela e Mário foi uma armadilha. Violeta chega ao “aparelho” com os guerrilheiros. Ela está radiante. Jandira conta a Violeta que na missão de “expropriação” do trem pagador três companheiros “caíram”. Miriam telefona para José e conta o que aconteceu a Filinto. José diz que Filinto merecia. Lobo Guerra diz a Filinto que ele foi ingênuo. O general afirma que Violeta é Olivia e diz que ela não pode sair ilesa. Feliciana telefona para Lobo Guerra e diz que enviou o dossiê sobre ele aos jornais.

Quarta-feira, 21/09/2011 – capítulo 122
Bandidos e policiais trocam tiros

Marta, Ivone e Luís recebem dossiê sobre Lobo Guerra na redação do jornal. Padre Inácio diz a padre Bento que não vai cumprir a promessa que fez a Marília. Padre Inácio diz a Marília que não vai ter casamento nenhum. Luís e Marta mostram dossiê sobre o general a Mário. Decidida, Marília diz para padre Inácio esquecer ela e Jorginho. Mário teme publicar o dossiê sobre Lobo Guerra sem a autorização de Marina, pois ele acredita que as provas são fracas. Margarida chega aterrorizada ao Dops e conta a Aranha que Marquinhos foi sequestrado. Na redação do jornal, todos comentam a morte de Che Guevara na Bolívia.

Lobo Guerra comemora a morte do líder cubano. Batistelli diz aos guerrilheiros que Che foi morto, mas o sonho não acabou. Aranha e os policiais chegam à favela para procurar por Marquinhos. Bandidos e policiais trocam tiros. Batistelli pede para Bartolomeu acompanhar Maria e Heloisa em manifestação no Rio de Janeiro. Batistelli diz para Nina levar Violeta para a igreja de padre Inácio, pois ela está sendo procurada por todo o país. Aranha, Fritz e policiais abrem fogo contra os bandidos, que revidam. Couto diz que sua munição está acabando. Fritz fala a Aranha que os bandidos não estão de brincadeira.

Quinta-feira, 22/09/2011 – capítulo 123
Cada guerrilheiro muda o visual

Batistelli e Jandira mostram aos guerrilheiros os cartazes que estão sendo procurados. Jandira aconselha Violeta a usar uma peruca. Batistelli pede para os guerrilheiros pensarem em um disfarce para não serem reconhecidos. Ana aconselha Filinto a não pensar em Violeta. Policiais e bandidos continuam trocando tiro. Lobo Guerra diz aos militares que o Exército Brasileiro está sendo desmoralizado pelos “baderneiros”. Batistelli tira a barba e coloca aplique no cabelo para não ser reconhecido. O guerrilheiro diz a Jandira que vai explodir uma bomba no consulado americano de São Paulo.

Maria corta as madeixas na altura do pescoço. Nina muda o penteado. Cada guerrilheiro muda algo em seu visual. Miriam e José contam a Ana e Filinto que marcaram a data de casamento. Violeta diz a Batistelli e Jandira que teme ir para a igreja de padre Inácio, pois ele é primo de Filinto. Batistelli diz que Violeta pode ficar no “aparelho” desde que ela comece a fazer “expropriações”. Maria telefona para João e diz que vai para o Rio de Janeiro. A guerrilheira pergunta ao irmão se ele armou algo na cantina para separá-la de José. Por meio de grampo, os militares ouvem no quartel a conversa entre Maria e Lúcia.

Maria conta à mãe que vai viajar ao Rio para participar de manifestação estudantil no restaurante Calabaouço. Ela diz que vai disfarçada. No quartel, Borges comenta com Tavares que Maria vai “cair” mesmo disfarçada. Marina revela a Thiago que quer se separar dele. Ela diz que não o ama mais. Tavares e Borges contam a Lobo Guerra que Maria vai ao Rio de Janeiro encontrar lideranças do movimento estudantil. O general manda os militares avisarem a polícia do Rio. Lobo Guerra telefona para José e ordena que ele vá para o Rio de Janeiro investigar o movimento dos estudantes. Lobo Guerra afirma a Tavares e Borges que quando Maria ver José ela vai se entregar.

Sexta-feira, 23/09/2011 – capítulo 124
José se despede de Miriam e Ana

Marília vai à igreja e diz a padre Inácio que contou sobre Jorginho a Monsenhor. Padre Bento fala a padre Inácio que Marília não vai ficar tranquila enquanto ele não largar a batina. Maria, Bartolomeu, Heloisa e outros guerrilheiros estão a caminho do Rio de Janeiro. Thiago pede para Marina pensar um pouco sobre a separação. Margarida vai ao Dops e diz a Aranha que Marquinhos foi encontrado morto na calçada. Couto chega com Marquinhos em seus braços. O delegado fica desesperado ao ver o filho morto e promete vingança. Margarida diz que a culpa é de Aranha. Batistelli e integrantes do VPR explodem o consulado americano.

Luís leva Marta para sua casa. Os dois se beijam. Thiago, Marina e Marcela assistem telejornal, que noticia atentado a consulado americano. José se despede de Miriam e Ana. O militar parte para a missão no Rio de Janeiro. Feliciana telefona para Lobo Guerra e diz que está se unindo aos revolucionários. Margarida diz que Aranha é o culpado pela morte de Marquinhos. O delegado promete pegar os bandidos. Aos prantos, Margarida diz que Aranha está fingindo sofrimento e dá um tapa na cara do delegado. Aranha revida.

Deixe um Comentário